Laudo indica que psicóloga estava morta há 12 horas

O Cidade Alerta está acompanhando o mistério que cerca a morte da psicóloga Marilda, de 37 anos. Ela foi encontrada com os pés e mãos amarrados dentro do porta-malas do próprio carro, em Pouso Alegre (MG). O velório já estava acontecendo quando a polícia exigiu que o corpo retornasse ao IML; entenda.

Marilda foi encontrada sem vida na própria casa onde morava com o marido em Minas Gerais. De acordo com o laudo, a psicóloga tinha morrido há 12 horas. A princípio, a polícia cogitou suicídio, mas seria impossível devido a forma que o corpo foi encontrado. A investigação começou a recolher imagens de câmeras de segurança próximas da casa de Marilda.

O marido da psicóloga foi quem chamou a polícia. Ele relatou que chegou em casa à noite e não a encontrou, tentou contato e não conseguiu. Então, ele foi procurar alguma pista pelo local e achou o corpo. De acordo com o depoimento do marido, ele falou com a esposa no período da manhã, depois não teve mais contato. Ele revelou que a psicóloga já havia sido perseguida por um carro e anotou a placa.

A equipe da Record TV entrou em contato com a família de Marilda, mas eles não quiseram falar sobre o caso no momento. A polícia impediu o enterro da psicóloga e alegou a necessidade de levar o corpo ao IML para fazer novos exames com o objetivo de identificar a causa da morte.

Os celulares do casal também foram apreendidos e a perícia aguarda os resultados dos exames.

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.