Caso Dona Ortília: câmera de segurança contradiz depoimento de eletricista

O Cidade Alerta continua acompanhando as investigações para descobrir quem matou Ortília, de 78 anos. Até o momento, há dois suspeitos: o filho mais novo da idosa e um eletricista. Câmeras de segurança registraram seus últimos momentos com vida. Essas gravações contradizem o depoimento de um dos suspeitos; entenda:

Dona Ortília foi morta dentro da casa onde morava, em Suzano (SP). No corpo, havia indícios de tortura e de estupro. A investigação acredita que quem cometeu o crime era conhecido da vítima. Uma câmera de segurança mostrou Ortília indo até uma adega, por volta das 18 horas, no dia 2 de julho. A idosa seria morta às 2 horas da manhã do dia 3 julho. A filha relatou que, somente, após fechar o bar a mãe ia comprar as bebidas para a reposição.

Nos depoimentos, Rodrigo, filho de Ortília, disse que saiu de casa às 16 horas e voltou apenas às 4 horas da manhã. Mas, o eletricista, que mora em frente à residência da idosa, declarou que a viu fechando o bar às 19 horas e voltando para casa com Rodrigo. O depoimento do eletricista está sendo refutado, pois, de acordo com as câmeras, Ortília fechou o bar antes das 19 horas. Um amigo de Rodrigo também confirmou estar com ele às 16 horas.

Tanto Rodrigo (foto) quanto o eletricista negam qualquer participação no crime e esperam que, em breve, o caso seja solucionado pela polícia.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.